terça-feira, 12 de maio de 2009

A Vida é um Bloco de Carnaval (mais uma letra)

Meu bloco vai pra rua sem panfleto, sem protesto
Desta vez meu bloco vai se divertir, e não fazer manifesto,
Papo indigesto, não será o tema do meu cordão Pierrot e Colombina, alegria no salão,
Folião, olha quanta mina ... segue o apito
Mascarados, palhaços, reis, rainhas, índios,
As diferenças se transformando em esperança
De que a sociedade perceba suas semelhanças, mais tolerância
Tal qual um bloco na terça de carnaval
Democracia aplicada ao hemisfério musical
Sem bom ou mau, ou julgamentos morais
Se toca o frevo, eu fervo eu bebo, quero saber de nada mais
To bem de paz, guerra só de serpentina
Na marchinha o tema é livre, vive quem improvisa
A la laô... mas que calor... me dá algo pra beber
Mamãe eu quero mamar, O balancê... O Balancê
refrão

Nas ruas, passistas misturados à pacifistas, foliões
Mal trapilhos ou ricos, afogam frustrações segundas intenções,
Resgatam ilusões, alegram seus corações, livram-se de suas prisões...
Obrigações, Ocupações....vícios, costumes
Linda Morena, dança comigo, lancei um perfume
Faça barulho, perturbe... seja sócio do nosso clube
Socrático, mais democrático que próprio Youtube
Nas ruas de Guadalupe desfiz minhas mágoas
Soltei as amarras, pensando que cachaça fosse água!
Nem sei bem dizer como cheguei
Tampouco reconheci o lugar onde acordei
Eu sei, ouvi dizer: de perto ninguém é normal,
Meu bloco de rua é cultura, loucura sem carnaval
Ruptura com o real, é lúdico, surreal
Me acorde com os acordes perfeitos da Orquestra Imperial
refrão

Que porra é essa? É gafieira? Eu dancei quase a noite inteira,
Eu nem sabia que dançava, quebrei mais uma barreira...
Minha vontade praieira vence mais um obstáculo...
Minha alma brejeira prefere a rua ao espetáculo...
Consulte seu oráculo e veja o que ele aconselha
Uma bermuda, camiseta, a vida enfim é uma centelha
Memórias carnavalescas pelo alcool esquecidas
São como filmes e preto e branco revelados na quarta-feira de cinzas
Misture as tintas, misture os corpos,
Misture as vidas, misture os copos...
Relato vida in loco, desajustando o foco
A liberdade pelo compromisso nem fodendo eu troco
Meu bloco de carnaval...
a vida é um bloco de carnaval...

4 comentários:

  1. eu lembro vagamente de ter ouvido esta letra ou parte dela...
    bem que tu poderias postar um video cantando,ou contando tuas criações... e tem um montão!!!!

    ResponderExcluir
  2. Jana.. Valeu e desculpe nunca te-la respondido aqui... Saudades guria...rs beijos nos falamos...se entra novamente aqui saberás que comentei seu comentário... Opa...

    ResponderExcluir