sexta-feira, 16 de outubro de 2009

a tevê emburrece, atrasa, desqualifica...

"A Novela é a escola política do povo brasileiro"-
Gilberto Felisberto Vasconcelos,

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A Outra... de Aldir Blanc

A Outra sou eu.
A Outra são as outras que não lembro,
são as outras que não esqueço
- a mãe, a prima, a madrinha...
as que pagaram seu preço
de tanto rodar bolsinha entre a copa e a cozinha.
Você pode ser a Outra.
A Outra dorme em você feito fera enlansguecida;
sono/cheiro de mulher bela, bela adormecida
esperando pelo beijo, não do príncipe encantado
mas de um safado qualquer.
A Outra vive de brisa,
Vive da respiração do Outro,
Que tudo sensibiliza,
Que alivia e que perturba
Porque a Outra se masturba,
Não com o egoísmo de quem é parceira de si mesmo,
Mas com o assombro de quem beija na penumbra
Outro alguém no próprio ombro.
A Outra morre de eclampsia
No auge do sonho, ou não,
- embarca pela manhã
Se a chuva cai fininha,
Pra Veneza, de vapor;
Ou não: ou vai para a casa da vizinha,
De bobs, roupão de flor,
Passar trote cabeludo
Pra esposa de seu amor.

A Outra contrai doença nervosa, ou pneumonia
Suando numa autarquia pelo pão de cada dia,
E o telefone não toca
Com a voz do amante querido:
Fica mudo o telefone- ai, que silêncio agourento!
– o tesão indeferido, feito pedido de aumento.
A Outra se esvai e se rói, faz trejeitos de assassina,
Vai morar em Niterói, se vivia em cocaína.
A Outra aceita ser tudo:
Putinha, Virgem Maria...
Na boca, batom, desgaste
Se misturam na pergunta:
Pai, porque me abandonaste?
E o amante lhe responde:
Mais que nunca libertino,
canalha farto em seu pasto:
- mulher, mas que pai, fui teu padrasto
Tentando ser teu menino.
A Outra é loba romana, Hera, Vênus Calípgia...
A Outra é contemporânea é musa de Tom Jobim.
Ana, Ângela, Luiza...
A Outra é um bicho, um cordeiro,
Uma fera, uma piranha.
A Outra é porque quer,
E ao querê-lo quantas outras abandona,
querendo ser só mulher
Mulher múltipla e divisível, mulher dádiva de si.
A Outra se dá sabendo que não sabe a conseqüência
de ser o inverso do oH!
- Fertório dos altares onde em brancas nuvens noivas
Começam a se dissipar, ao lado do par tão ímpar
Da subida do calvário do amargo lar doce lar

A Outra não é missionária.
Antes, é sacerdotisa de um culto em que se iguala
A tantas outras quando incorpora o que exorciza
- No alarido em que se cala, decidida a duvidar
O próprio peito apunhala.

Há momentos em que a Outra
É um poço de advérbios:
Fuma desbragadamente, bebe copiosamente,
come alucinadamente
Mente comumente.
Como mente!
A Outra, de tanta meia
palavra sussu-ssurada
Quando explode dá bandeira:
Chupa, escancara, palmeia
- de tanto se abrir, se fecha, indo parar no hospital.
Com dor de ovário e distúrbios em seu ciclo menstrual.
Exames complementares, Raio X, tudo pra nada.
A Outra é desenganada pela equipe de plantão.
Coma profundo. Alguém quer desligar o aparelhos,
Mas, vendo a cara da morte nos espelhos da agonia,
A Outra, após visitar o inferno, ressuscita
E suscita num gemido
O nome-nume do Outro bem nas barbas do marido.
A Outra paga o motel, paga o bar do fim de noite,
Paga bebida, cigarro, o vibrador e o açoite,;
A Outra paga bem caro pelo prazer de pagar.
Pagando, dá ao seu ser o que lhe era atirado como um osso.

A Outra se acha suja para a língua do marido
E sente no próprio sexo cheiro de coisa doente,
E, no entanto, pro outro,
grita nomes e abre as pernas até ficarem dormentes.
E se- perdoem! – atrás sempre fez cú doce,
agora mais doce ainda o cú faz
para recuperar o tempo perdido com frescurinha:
“ai, que tristeza eu tinha na aurora da minha vida,
com a repressão que insistia: - na bunada não vadinha”

A mãe da Outra observa:
Você anda diferente...
Ou um filho é quem lhe diz: a mamãe virou feliz!
O marido fala pouco, foge dela, evita o coito
E acalenta a idéia de comprar um trinta e oito.
Só em seu foro intimida a própria imagem no espelho
Palhaço, frouxo, cabrão!
E condenado, esse Jonas,preso na baleia da autocomiseração
Fala em defesa da honra, buscando a absolvição.
A Outra não.
Sendo amada ela não quer ser perdoada.
Jura tomar precaução que é pra ninguém descobrir
Mas conta pra todo mundo:
Transborda seu coração, com o vinho predileto
-e eis a perdição: A Outra não come quieto!
A Outra, dá em si mesma chipões, arranhões sem fim,
E diz: “Foi ele, ciúme. O Outro é louco por mim.”
Você aí não deboche quando esbarrar numa Outra
Que pirou, tomou veneno, que atirou fogo às vestes,
Que abriu o gás, ou nua pulou do décimo andar
E que jaz estatelada, coisa no meio da rua.
Dante de uma tragédia, jamais diga:
“Eu to na minha” porque a outra é Tua!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Pense Bem...

Pense bem

Se aquilo que se evita, não é o que mais se quer ter?

E o que calamos... o que mais queremos dizer.

O que se condena, não raro, é o que mais se quer fazer.

E o que ensinamos, é o que mais precisamos aprender.

Pense bem

Se cada sim, tem dentro se si, muitos, não!

E cada problema nasce junto com seu par, a solução!

Se até o crime, traz em sua alma o perdão!

Cada calma, vem precedida de confusão.

Pense bem

Se para existir e brilhar a luz necessita de escuridão

E é da própria necessidade, que nasce toda improvisação

A velha regra morreria sem a jovem exceção

E toda emoção busca serenidade na rigidez da razão

Pense bem

Se o que liberta não é aquilo que você mais quer deter?

O que se congela, o que mais se precisaria derreter.

Aquilo que se concentra, não é que mais queríamos dissolver?

O que enfraquece a morte é sua permanente vontade de viver

Pense bem

O egoísta tem uma vida inteira de oportunidades para ceder

A guerra sempre está à espera da paz para interceder

O culpado mesmo calado um dia tende a se arrepender

E o inocente se arrepende e lamenta não ter o que se arrepender

Pense bem

Quanta loucura na insanidade pode haver?

Toda procura é valorizada pela arte de esconder

Problemas supostamente insolúveis têm lá seus meios de se resolver

E na dor de se tatuar há (tem de haver); algum prazer

Pense bem

O que seria da divina comédia, sem a tragédia?

Do sorriso, se a vida fosse muito séria?

Veja os ricos que enriquecem produzindo miséria!

E o trabalho que sempre se renova após as férias!

Pense bem

Os mais puristas são os mais impuros e misturados

Os puritanos (ditos Santos) são os mais devassos e safados

Os mais corajosos invariavelmente mentem, não passam de acovardados

Os metidos a machões, na hora H, são os mais passivos e efeminados

Pense bem

Se falar muito de si mesmo é uma forma de se esconder?

Como diz Amarante: “que o esforço pra lembrar é a vontade de esquecer...”

Que olhar pra fora de si é uma forma de se conhecer...

e grana é imprescindível, e não buscá-la é a melhor maneira de se viver

terça-feira, 1 de setembro de 2009

A Bailarina Mendiiga







dia 01/09/2009 Dia da Bailarina...

Ela acorda cedo, muito cedo. Ainda é madrugada.
Traz consigo idéias que planeja, dores que calejam, sonhos que almeja,
Na bolsa de pano, faltam: sapatilha, meia, esparadrapos, tutu bandeja...
Ela não liga e peleja para corrigir aquela passada...
Glissé , uma tal escorregada, que... falta angulação
1ª. Posição, 2ª. Posição, 3ª. 4ª. Posições
Sua insatisfação busca perfeitas execuções...
Faz a correção em meio à solidão
Quer aceitação, busca algo que a define
Ela ensaia sozinha no canto do quarto ainda escuro
Ser dançarina da Cia de ballet russo de São Petesburgo,
Confunde clássico e moderno, sonha com o “Largo do Cisne
Entre a solidão do quarto da velha casa abandonada
E o deboche dos outros indigentes, ela os chama de deprimidos e deprimentes,
Os acusa de não saberem o bem que a arte faz para gente
Nossa bailarina mendiga sonha acordada...
Junta seus trapos quando dá meio dia, vai à luta
Cobertor de lã, saco de cola, sob a calor da avenida
Poe medo nas moças de família, infelizes enrustidas
Toma nome de piranha, vadia... de puta
Mas ela só sonha em ser bailarina,
Entre um furto e outro executa um grand jeté (grande salto)
Da sua boneca decapitada faz bebê, vislumbra um grande assalto
Ela só quer ser, como diria minha filha: barnarina

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Coisas que Perdemos pelo Caminho..Let's Stay Together

Hoje, logo cedo peguei a estrada de motocicleta. Enquanto acelerava, olhava no retrovisor, freava, acelerava, enfim, coisas automáticas que nos fazem tão automáticos quanto os veículos, uma música me atravessou! Mas não sabia qual era.
Me veio como uma intuição! Primeiro só a melodia, depois a harmonia, mas a letra... Aletra não veio... Cheguei em casa e mergulhei na infindável pilha de CDs, Vinis, MP3 que tenho e não encontrei. Este som me acompanhou a viajem inteira em meu “player interno” e eu não sabia qual era. Costumo dizer que tenho um aparelho de som embutido na minha mente e, independentemente da música que toque no ambiente, meu player executa minha seleção. Minhas preferidas. Me sinto tal qual Bobby em seu estranho mundo! Rssrrsr
Mas desta vez, não identificava a música. E busquei. Garimpei. Varri, rastreei e nada! Busquei-o feito Sidarta à iluminação. Feito Descartes à verdade e a porra da música não vinha. Sim, vai dizer que este papo de ouvir a própria música, num radinho interno parece ser um certo nível de autismo... Esquizofrenia. Loucura enfim. Seja qual for o nome. Já fui diagnosticado e sou réu confesso DDA, penso ter algum transtorno obsessivo -compulsivo e/ou transtorno bipolar, e se algum psicólogo de plantão quiser arriscar um diagnóstico não me surpreenderá, até porque o que me prende à este texto é: que música era aquela que acompanhou à mim e à Zuleica (nome da minha moto estradeira)?
Desisti pelas tantas... Assisti um filme com Halle Berry e Benício Del Toro chamado: Coisas que Perdemos pelo Caminho, muito bom. Há um exagero nos esteriótipos mas muito bom. Del Toro impressionante! Berry arrebentou também, mas enquanto assistia ao filme, entre uma cena e outra, me vinha a porra da música...
Pois bem, vindo para o trabalho, ao passar por um carro, ouvi pela primeira vez a música “fora de mim”. Como diria Nelson Rodrigues: se deus existe, ele está nas coincidências! E ela lá estava inteira. Melodia, voz, harmonia... e aí cheguei a me punir feito um faquir por ter deixado escapar o nome e a identidade desta que é uma das maiores canções de todos os tempos da música contemporânea (gravação original de 1972); Let's Stay Together de Al Green. Nos anos 90 ela ganhou ar de Cult ao ser incluída na trilha sonora do filme Pulp Fiction, de Quentin Tarantino (precisamos de um capítulo só para ele).
É isso. Hoje fui dominado por esta inquietação...
Abraço.
Under...son

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A fé cega? Deus um Delírio....




Quero sugerir um documentário feito pelo cientista Richard Dawkins que está em exibição no GNT, cujo nome é título deste meu post. A Fé cega? Deus um delírio...Claro que trazer esta discussão ou idéia para meu blog não resolve nada nem porra nenhuma... Mas como ele é uma extensão das coisas que faço, penso, persigo, evito, temo, aprecio, etc... O fato é que o documentário me reforçou algumas idéias. Me deu lastro científico e óbvio, como um curioso, iconoclasta (olha só) que sou, vou buscar maiores informações. Quero que lhes dê mais lastro também para discutirem o assunto sem preconceito ou medo de serem castigados por Deus, caso nalgum momento duvidem dele. Não quero incorrer no mesmo erro que as religiões ao defender como quem faz propaganda meu ceticismo, embora eu defenda antes de mais nada a razão. Defendo que sejamos racionais (não como os rappers, uma vez que eles são manos de muita fé e cada qual com uma e olha que eu os conheço); mas chamo a atenção, para que coloque de lado, numa gaveta, sua fé inabalável e a questione-a para ver se ela sobrevive até a página 07? Mas questione com base científica e de modo à testá-la. Sabatine-a. Se você tirá-la novamente da gaveta e usá-la como quem usa desodorante todos os dias, parabéns... Você consegue manter-se por de trás da cortina ou véu que cega a maioria das pessoas e vai lá, vento contra o rosto, cabelos esvoaçantes, olhar austero, vá viver a vida. Mesmo que tenha um milhão de perguntas sem respostas. Caso contrário, te garanto que as perguntas não cessarão. Ao contrário! Elas muito provavelmente aumentarão. Mas terás a oportunidade de enxergá-las por um prisma que desmistifica ou “dessacraliza” explicações categóricas do tipo: é assim e pronto! Ou: É assim porque deus quer! E, abrirá sua mente para o debate. Melhor, descobrirá que ser ético, moral nada tem a ver com o divino. Que você pode ser generoso, responsável, saudável e positivo independentemente de religião ou de Deus. No próximo post trago uma lista de ateus famosos (só para representação social rsrsrs); Gente de bem, ou de mal e isso independe de religião que fizeram grandes obras lindas para o bem da humanidade e outras que nem tanto. Bom, apenas algumas palavras...depois nos falamos. E ó, continuo sendo um cara gente boa, piradão, amigo, ético, bom pai de família, com uma porra de defeitos e a porra toda ok? Nâo é porque descobriu que sou cético que... enfim... Under....son

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Dia 17/08/2009... Dia de...

Dia 17/08...
Não queo falar hoje sobre o aniversário de morte de Drummond ou sobre o aniversário de nascimento de Ed Motta ou de Menelik II rei da Etiópia. Nem da independência do Gabão e da Indonésia... Não vou falar sobre a primeira travessia em navio à vapor no Oceano Atlântico. Quero neste dia 17 de agosto ir além da coisa pontual e histórica de dizer que aniversaria fulano ou faleceu cicrano. Embora seja irresistível não comentar que João Donato completa 75 anos. E, se vivo fosse, Candeia apoagaria velinhas também. Sean Penn, Robert de Niro e Nelson Piquet também comemoram anos hoje. E para não dizer que só nasceu gente bacana neste dia, Zezé di Camargo também é deste dia! Mas tudo isso é irrelevante Não quero lembrar que é dia do ferreiro dos deuses, Vulcano e que é dia do Amor.
17 de Agosto de 2009, quero apenas lembrar que é uma segunda-feira e que eu to numa preguiça monstruosa!!! Puta que pariu!!!!!

domingo, 19 de julho de 2009

Parte de uma letra. Uma fração do todo. Teco de Algo, Trecho de Tudo... Naco do resto.

Me diz afinal o que é viver, senão escrever a sua biografia.
Nâo há o que, nem de quem, nem porque esconder basta viver o seu dia a dia.
As suas manias, os seus sentimentos, as suas loucuras e discernimento.
Suas tretas mais cabulosas, "neuroses nervosas" que afligem os seus pensamentos .
Observo o meu tempo, eu não me arrependo, estou sempre atento às minhas escolhas.
Aqueles tormentos conflitos que invento, eu sopro no vento, feito bolhas,
Eu rimo na encolha, na tela ou na folha, me exponho, eu sonho com a revolução.
Revolucionário, é solitário, são necessários tristeza e solidão.
Indignação, loucura/razão, postura/paixão, - viver na pressão.
A busca pela informação requer disciplina e muita concentração, mas eu não.
Sigo vivendo, tentando entender, sei lá decifrando sinais.
Me supreendendo, me subvertendo face ao que o ser humano é capaz.
Você faz, você paga, será que esta lógica pseudo-sagrada, de fato funciona?
Divinizar o intangível, é a válvula de escape que nossa mente aciona.
Viver não é fácil. Sombas do que faço. Não siga os meus passos: não te aconselho!
Espelho sem aço, o meu desespero
é não ter em quem me espelhar,
sou meu próprio modelo, confesso também tenho medo,
Resisto à mudanças não sou infalível.
Sou péssimo em frases de efeito, alma de criança, tenho: é perceptível.
Assim como eu, s eperdeu, sucumbiu, buscando sua iluminação.
O sonho prescreveu, morreu, ruiu, implodiu faliu, se esvaiu, feito água nas mãos.
Então também tenho esta percepção, de que constantemente estou na contramão,
No cinema prefiro bandido, Quadrinhos me identifico com o vilão
Contra-cultura, anti-herói, com loucura também se constrói.
Não sei se viajei mas um dia sonhei com uma noite estrelada com dois sóis...
..............................................................................................................................................................
Já me pegeui contando estrelas, e tive medo de perdê-las
Venha vê-las. Antes que o céu se acinzente e infelizmente as nuvens possam vencê-las.
Estrelas reluzentes, são como a gente
Independentemente do tempo brilham pra sempre.
Pense no que te inspira. Algo simples como o ar que respira.
A mina que tu pira, tudo que transpira,
Conhecimento não é ilha, portanto transfira
Não fira os seus ideais, seja fiel àquilo o que faz.
Na busca pela paz, há guerras demais, por motivos quase banais
nossos direitos fundamentais, são deixados para traz, e quer saber mais?
Trago ao conhecimentos elementos do meu universo
Sou réu confesso, tenho de fato devaneios, pensamentos complexos
Muitos processos pendentes na mente, no inconsciente, ferida aberta/abscesso
Solto palavras sem nexo, rimas que talvez não valham o ingresso!
Ou seu inverso! quem sabe não encontre conforto um porto aqui nos meus versos?
Repito sou controverso, muito disperso, muito. comum
Como você, finjo não querer sucesso,
Me escondo atrás deste xaveco, mas que no disbaratino não meço
esforço pra deixar de ser mais um...
Desculpe se atormento, te deixo lento com este embaralhamento de idéias
Mas talvez seja de fato o momento de falarmos sobre coisas mais sérias
seu cérebro constantemente de férias, não enxerga valor nas coisas mais simples,
Eu vejo arte no estêncil, nos movimentos (dos quadris), nas cores do grafitte.
A beleza que existe, a a luta persiste para aquele que nunca desiste
Vejo beleza na fotografia da mina rebelde com o dedo médio em riste
Liste, viste, inumere, risque, tudo aquilo que te deixa triste
Apesar da mediocridade que existe, o amor insiste...ufa resiste!
Eu detesto policiais (demais), e também fluxo de capitais
Assim como detesto natais, dia dos pais, e novelas globais,
E fecho todos os canais pra que você me entenda um pouco mais
Já disse: duvide de todos aqueles que lucram com seus ideais!
Concentre-se, disperse-se, entenda tudo o que eu digo...
Crianças se divertem em quintais longe do sensacionalismo televisivo.
................................................................................................................................................................

continua

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Tanto por dizer... (Mosaico de Idéias) (Colcha de Retalhos)

Tem um tempinho que não escrevo. Na verdade não passo um só dia sem escrever ou ler. Mas, especificamente aqui, faz um tempinho. Tempo suficiente para o mundo mudar! Essa tal globalização aliada à era da informação e informática, faz com que o mundo mude, aliás, que nós saibamos das mudanças muito rapidamente. Vejam o Twitter e a Guerra. A imagem instantânea de qualquer parte do mundo pelo google maps, Enfim... Há informação no cel, no céu, na rua, em casa, etc. O Corinthians fora campeão, e isso já é passado. O Michael Jackson morreu (isso é futuro, depois explico); e certamente será necessário um ou mais posts só para ele, ou não. Talvez traga apenas seus vídeos e links para baixar preciosidades do cara. Mas sigo em frente. Dando pinceladas sobre um pouco de tudo. Um mosaico de idéias. Colcha de retalhos. Quando se passa muito tempo sem escrever no blog, há uma inevitável e justificada necessidade de falar sobre um montão de coisas. Vi hoje uma entrevista com a Fernanda Takai, de quem gostei ainda mais. Já curtia sua fragilidade meio "narista" (de Nara Leão. à quem Fernanda homegeou recentemente); e gostava das suas composições e tal, mas ela mostrou muita sensibilidade... Sinceridade na sua relação com a música. Ah sim. Terça-feira 30/06, estive no StudioSP aqui em Sampa na Augusta, à convite de meu amigo e produtor Tubarão, para uma festa em que meus parceiros (temos músicas e palco juntos), Max de Castro, Simoninha e Jair Oliveira, apresentaram uma cantora chamada Maria Gadu. Abaixo segue o link do myspace da mina.
Eu e todos presentes no StudioSP, ficamos "de cara"... Tubarão e Simoninha já haviamme falado dela. De que compunha muito. Cantava muito e tocava muito bem violão. De que sua primeira canção fora feita aos 11 anos. E quando a vi no palco, duvidei dos seus 22 anos!
Voz madura. Artista pronta. A Filha da puta nasceu para fazer isso!rsrsrs
Outra coisa, fiquem espertos com a programação do Sintonia! Meus brodas Kleber, Marco, Robson e Willian prepararam uma programação nervosa. Perdi ontem o especial do Common. Semana que vem tem Jay-Z e depois Mary J. Blige e Michael Jackson (anunciado antes da sua morte). E por falar em morte... Aniversário de morte de Jim Morrison e Joe Derita. O primeiro cara criou o The Doors. Nome que escolheu após ler livro do Huxley "as portas da percepção", que aliás tennho e está com minha amiga apaixonada Denyze Brito. O segundo Cara criou os 03 Patetas. É o carequinha e tal. Ah, era legal quando éramos crianças. Só para registro ok?
Quê mais?! Presenciei dois milagres no StudioSP: milagre 01: o Max tem s-mail e o abre todo dia!!!! O Jair permaneceu numa balada por mais de 01 hora!(este último admitido pelo santo). Quê mais?! Acho que só. Voltarei a escrever com maior periodicidade. Estou aqui a reler meu "O Livro dos Insultos" do Mencken e cada vez que o releio ele é ainda melhor (é a quinta vez que o leio)... Ah sim, ouvindo Kero One, Alice Russel, Djavan, Jorge Ben, Edison Machado e Simonal. E mais uma pancada de coisas... Vamos nos falando.
Ah... Camorra no forno. Eu e Cleverson estamos largando o pau nas coisas lá no estúdio. Não demora muito agora...
http://www.myspace.com/mariagadu
Under...son

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Dia do Cinema Nacional... 19/06/2006

Tá certo. Todo dia é dia de alguma coisa, ou aniversário de alguém, dia da fundação de não sei o quê, comemoração da festa do alface, da uva, da jaboticaba e ficar esmiuçando isso além de chato é pouco criativo. Explicando-me assim de começo, claro que falarei sobre o dia de alguma merda...rsrs. Mas hoje é dia do Cinema Nacional. Porra, aí não dá para deixar passar batido.
Claro que, como qualquer pessoa, tenho minha lista de favoritos, a trarei logo abaixo. Mas quero fazer um apelo àqueles que não curtem cinema nacional. Quero dizer algo singelo, e que representa meu profundo sentimento de tristeza, priencipalmente quando os ouço dizer que não curtem cinema nacinal por que a qualidade é ruiim, ou porque falam muitos palavrões, ou porque estão acostumados com a estética rliúdiana...
Aos colonizados de plantão, aliás, os Globocolonizados, digo: vão à merda!!! Azar de vocês! Tão se fodendo ao perder tanta coisa boa!!!! rarararararararararara.
Bom, vou à minha lista e como em qualquer lista, incorrerei no erro de deixar alguns nomes fora, ou incluirei nomes que muitos não incluiriam. Sou da seguinte opinião: gosto é gosto... tem o bom gosto e o mal gosto!
Minha lista está em ordem de preferência... Aí seria um exercício de masturbação mental.

Terra em Transe
Deus e O Diabo na Terra do Sol
O Bandido da Luz Vermelha
Bar Esperança
Dona Flor e Seus Dois Maridos
Assalto ao Trem Pagador
O Homem que Copiava
Cidade de Deus
Central do Brasil
O Pagador de Promessas
Eles Não Usam Black Tie
A Mulher de Todos
O Alto da Compadecida (pô, é engraçado vai)
Cão Sem Dono
O Cangaceiro

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Uma letra... Trecho de algo que nem sei o que é...

A realidade é um sonho


Soluções mágicas estão longe de serem aceitas por todos
Uma cilada filosófica nos pega, assim como a Descartes e seu Demônio
O que é realidade? O que é sonho? Pense bem no que proponho...
Distingui-los tem sido cada vez mais difícil ao menos nisso concordamos

Consciências simuladas, universos paralelos e virtuais
Super-simplificarei o raciocínio para que me entenda um pouco mais
Olhe à sua volta, veja as pessoas... parecem normais?
Artificiais? Superficiais? Banais? Sei lá... diz aí o que mais...

É bem possível que nossa inteligência utilize instruções
Padrões quânticos e binários, aplicados às multidões
Que surgem e interagem complexa e intuitivamente
Desde as mais simples atitudes ou quando agimos excentricamente

Refrão...

Precisamos reajustar o centro gravitacional de nossas vidas
Desmistificar crenças cristalizadas e embutidas em nosso dia a dia
Resgatar memórias futuras e esquecidas,
Ciências cognitivas, filosofias futuristas

Por mais paradoxal que possa parecer o futuro é algo já vivido
sabemos disso a cada Déjavu percebido, pensamento esquecido
isso eu já vi, já vivi que barato louco
edita, corta, avança, peraí, volta mais um pouco!

Somos atores de si próprios num filme com cenários científicos
Ambientes caóticos, portais em cada beco desconhecido
Tudo se inicia naquilo que chamamos de Mente!
Ou poderia dizer... Mainframe? Sigo em frente...

com meu raciocínio, ilógico e pouco sentimental
que propõe algo fundamental, que tudo o que se vive, veja- seja virtual
entenda meu rap, meu ruído, minha tosca intervenção musical
como uma mudança relevante na noção da escala temporal

Quantas versões, noções desta cidade há,
nossas vidas imperfeitas se parecem um filme noir

“Rios, pontes e overdrivres” ... cenários espetaculares
impressionantes esculturas de lama...”
Mangue, Mangue, Mangue, Mangue

Buchannas... Mais uma letra (essa é velha)

Buchannas

Te conto histórias românticas, te falo de física quântica,
das paisagens que vi em minhas viagens transatlânticas
De passeios pela Av.Atlântica, desvendo segredos de Atlântida
te dou visões de mundo menos estreitas, mais panorâmicas

te confundo com minhas semânticas e filosofias tibetanas,
idéias sagradas e profanas regadas a Whisky Buchannas,
eu quero atitudes menos mecânicas, leio classificados na banca
Domingo melhor dia da semana, pastel de feira com caldo de cana

Piso em baganas, xingo bacanas, reflexo da minha mente glauberiana,
que é sempre simples, complexa e sofisticadamente provinciana
intenções rodriguianas, canonicamente satânicas
São resfriadas juntamente com nossos corpos na gelada cerâmica

À pedidos, entre gritos e gemidos me guardo de forma tântrica
Leve, lento, forte, rápido, mudo a dinâmica
respiração ofegante, ciclotímica, tímida e randômica
seus seios quentes, incandescentes são como lavas vulcânicas
refrão

Quantas coisas passam por nossas mentes coerentemente insanas
Palavras de carinho e respeito em meio a outras tantas tão sacanas
No luxo de uma suíte, ou na simplicidade de uma cabana
No capitalismo americano ou no socialismo da cubana Havana

Quero cama, que calor me abana, tecido egípcio, manias faraônicas,
meu senso de urgência tem sim velocidade supersônica
Alma tirana, confesso, tipicamente romana
Estou mais pra Nero que pra Tibério quero sim os louros da fama

quem diz que não quer... te engana, faz drama
o bom e velho truque do coiote por baixo da pele da lhama
Que vida essa sua: de dia puritana, à noite mundana
feche os olhos pra não ver, feche as portas, janelas, persianas

diga que me ama! Hei... como é mesmo que você se chama?
te recito da varanda lindas poesias de Mário Quintana
te dou grana, te levo à jantares em cantinas italianas
à praias na Tailândia, safáris nas savanas africanas,
refrão

Eu sei você é uma flor, por isso me especializei em botânica
faço promessas excêntricas, intangíveis e monogâmicas
Nossas vidas são uma inteligível e indecifrável trama
um tecido de belo fio macio mas que invariavelmente nos arranha

quero ir além do bairrismo e do niilismo da atmosfera paulistana
na minha mente te levo às antigas civilizações pré-colombianas
se queres ser minha dama, peço como quem clama, me acompanha!
nesta minha campanha, viagem psicológica, psicótica freudiana

interpretação moralista dos fatos, é o que difere adultos de crianças
minha palavra vale mais que contrato apesar de não inspirar confiança
case-se comigo no infinito, você é minha última esperança?
meu seguro fiança, mas elimine esta sua insegurança,

desconfiança descabida mais estéril que o deserto do Atacama
se errei já te justifiquei- expliquei quais foram as circunstâncias
você nunca se cansa, tá bom, me matriculo naquele curso de dança
vou ao shopping, ando distâncias,
e visto sunga em nossas incursões praianas

terça-feira, 26 de maio de 2009

Miles... o Maior.


Puta coincidência. Estou aqui em casa com o livro de um chegado que me cobrou a devolução deste, e minutos atrás o coloquei na bolsa para não esquecer, pois meu DDA anda bombando. Pois bem, o livro em questão é Kind of Blue. É homônimo ao álbum e narra a construção deste que é considerado o maior disco de jazz de todos os tempos. Vamos ao nome do cara: Miles Davis.
E afinal, qual é a coincidência? Simples. Hoje seria seu aniversário e na boa, não dá
para deixar Mr. Davis passar batido.
Hoje vou ouvi-lo o dia inteiro. Kind of Blue além de premiadíssimo, detém a marca de álbum de jazz mais vendido da história do mercado fonográfico mundial!
Seguido de perto, no segundo lugar, por Getz & Gilberto, que falaremos num momento mais oportuno. O cara nunca foi considerado um virtuoso se comparado aos seus antecessores e contemporâneos como Dizzy, Roy Eldridge, Louis Armstrong, Buddy Bolden entre outros. Mas notabilizou-se por criar estilos.
Por ser cirúrgico em seu estilo de tocar. Davis tinha um som puro e claro, mas também uma incomum liberdade de articulação e altura. Ele ficou conhecido por ter um registro baixo e minimalista de tocar, mas também era capaz de conseguir alta complexidade e técnica com seu trompete.
Montou várais guigs phodas e lançou músicos como: Chick Corea, Herbie Hancock, John Coltrane, Wayne Shorter, Bill Evans só para ficar em poucos e mais conhecidos nomes.
Nasceu rico. Foi fodido. Filho de pai dentista e mãe musicista. Tocava piano blues mas escondia este fato do filho que aos 13 anos iniciou educação musical com um trompete que seu pai lhe deu. A escolha do instrumento pelo pai, fora uma provocação à mãe que detestava o som agudo do trumpete. Aquela coisa meio de pai cotinthiano que presenteia o filho recém nascido com um macacãzinho do timão só para provocar a mãe sãopaulina... rs
Seu professor lhe dava reguadas na mão sempre que ele mandava um vibrato nas aulas, e isso moldou sua maneira de tocar. Segundo Miles:
“Eu prefiro um som agradável sem atitude, como uma voz agradável sem muito trêmolo e sem muitas linhas de baixo. No meio termo. Se eu não consigo esse som, eu não consigo tocar nada.”
Bom aí vai a dica do dia? Da semana? Do mês? Não. Para o resto da vida.! Miles Davis.

Frase de Miles: Para mim a vida e a música são só uma questão de estilo.

Under...son

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Jesse Owen, Star Wars e Selassie...








Nada liga os 03 nomes do título deste post, a não ser a data de hoje. 25 de Maio.
Em 1936 em plenos jogos olímplicos, o mano aí fez Adolf Hitler (mais conhecido em sua rua como adolfinho); abandonar o estádio Olímpico por ter ganho 04 medalhas de ouro em 45 minutos. O problema é que Hitler sendo o soberano do cabaré, ops, da nação alemã à época, tinha obrigação de cumpimentar Owens, e pelo fato dele ser negrão... bom vazou para não pagar um pau!
Mas o próprio Owens diz o seguinte: "minha maior conquista não foi contrapor-me ao regime hitlerista, mas sim abalar a noção preconceituosa da nação americana no século XX".
Ou seja EUA e Alemanha eram igaulmente racistas à época (e hoje??) Em 1977 no mesmo dia 25 de maio, estreiava nos cinemas Star Wars...
Na boa, o Lado Negro da Força (só para fazer um paralelo medíocre com o Owens); é muito mais interessante do que o lado luminoso. A julgar pelos códigos de cada lado.
Saca só!
Código Jedi (O lado bão da coisa) :
  • Não existe emoção, existe paz.
  • Não existe ignorância, existe conhecimento.
  • Não existe paixão, existe serenidade.
  • Não existe morte, existe a Força.

Filosofia Sith (o lado digamos, mais interessante, ops, mau) :

  • Paz é uma mentira, só existe paixão.
  • Através da paixão, ganho Força.
  • Através da Força, ganho poder.
  • Através do poder, atinjo a vitória.
  • Através da vitória, as minhas correntes são quebradas.
  • Assim, a Força me libertará.
Ah, sim. Em 25 de maio comemora-se a criação ou fundação da Organização da Unidade Africana (OUA). Foi criada em 1963 na Etiópia, por iniciativa do Imperador etíope Haile Selassie. É reconhecida a influência que Haile Selassie teve sobre o movimento negro, em especial em lideranças do movimento negro, como Martin Luther King e Nelson Mandela. Agora encará-lo como um messias, e isso o é feito pela religião Rastafári, que crê que Haile Selassie vive, e conduzirá os negros de volta à África, e é Deus Vivo. Em entrevista em 1968 à Hoffman ele fica lá falando de Cristo... E diz que Ele é a força maior e não sei o que... Já não entendo porra nenhuma, pois na moral, seu nome era Tafari... Ras é um título imperial ok? Aí o cara foi deposto pela assemlbléia etíope certa época por ter se tornado muçulmano. Citava Jesus e era um ditador. Eu não caio nesse aplique. E outra. Citei Jesus pois é uma unanimidade para àqueles que acreditam nele, que é a maioria aqui no ocidente! E Selassie é o seguinte:
Foi um cara importantíssmo para seu povo e tal. A "causa negra" que é uma causa de todos nós, em todo mundo, deve um respeito enorme à ele. Mas Deus Vivo? Po... Me ajuda aí!
Há um episódio em que durante sua visita ao Brasil (foto acima ao lado de Juscelino); um golpe militar fora deflagrado em seu país e, ele teve de voltar às pressas para lá. O embaixador brasileiro preocupado (de caô mas mandou essa), com a situação e a retalhação que poderia vir de Selassie, o fez prometer que ao voltar resolveria tudo pacificamente. Sem derramar uma gota de sangue.
Pois bem, ele matou os insurgentes todos enforcados...
De qualquer forma, viva a África, viva Owens e Star Wars..
O lado Negro da Força.
Que a força esteja contigo!!!

link da entrevista de Selassie num blog amigo

terça-feira, 19 de maio de 2009

Malcolm X, 19/05

Hoje seria aniversário de Malcolm X.
Caso se interessem assistam ao filme de mesmo nome dirigido pelo Spike Lee...
Leiam o livro Malcolm X.
Não falo mais nada.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Marketing Viral... Vídeo Muito Louco

Este é um ótimo exemplo de marketing viral...
Este é vídeo da Ray Ban...
Gostei muito e na mesma onda dos apaixonados por filmes, animações, e neste caso marketing, posto aqui este viral chapado.
Under...son


video

Stop motion with wolf and pig. Bom Demais!

Pra galera que curte animação, filmes, fotografia e arte gráfica e arte de modo geral.
Vídeo realizado em stopmotion pelo japonês Takeushi Taijin.
Foram Utilizadas 1.300 fotografias impressas, e espalhadas dentro de seu apartamento.
Vi este vídeo no blog dos amigos lá da Idéia Forte e quis trazê-lo para que apreciem este
vídeo maluco e muito phoda aqui no blog.

"...A forma como ele utiliza a arquitetura e os objetos do apartamento dentro da narrativa é simplesmente brilhante." (Idéia Forte).

video

terça-feira, 12 de maio de 2009

Mestre Jamelão e Chico Buarque... (cuíca e uivos)

12 de Maio seria aniversário do mestre Jamelão.
Irreverente, e marrento, Jamelão foi sem dúvida um dos maiores expoentes do Samba em todos os tempo. A gravação de Piano na Mangueira de Tom Jobim é impecável e trago abaixo um clip ao vivo numa roda de samba com participação de Chico Buarque. O galego além de ser gênio era esperto. Ia até às fontes... Claro! Se não fosse assim, seria só escritor...rsrs
O áudio não é dos melhores mas tem uma curiosidade. Não bastasse o dueto entre Chico e Jamelão. Há um outro não menos importante entre a cuíca e um cachorro que lá pelo final da música começa a latir que só uma porra. No tom da cuíca! rsrsrsrsrs
O Totó estava tão à vontade que não se fez de rogado, e foi e mandou uma mijada na cadeira de um dos músicos.
Há disponível no mercado, o DVD de 1992 do prpgrama Ensaio da Tv Cultura com o Jamelão
que é maravilhoso!
Jamelão transitava entre o samba canção, as músicas vindas da era do rádio, algumas dores de cotovelo (que eu gosto pra caralho) e, podemos dizer que revelou Lupicínio Rodrigues ao Brasil, e era também extemamente engajado com os sambas enredo mais especificamente com a Escola de Samba Mangueira. Tinha seu lado de cantor romântico e de intérprete (como ele preferia se chamado em vez de puxador) de escola de samba.
Só pra registro. Para não passar em branco.
video

A Vida é um Bloco de Carnaval (mais uma letra)

Meu bloco vai pra rua sem panfleto, sem protesto
Desta vez meu bloco vai se divertir, e não fazer manifesto,
Papo indigesto, não será o tema do meu cordão Pierrot e Colombina, alegria no salão,
Folião, olha quanta mina ... segue o apito
Mascarados, palhaços, reis, rainhas, índios,
As diferenças se transformando em esperança
De que a sociedade perceba suas semelhanças, mais tolerância
Tal qual um bloco na terça de carnaval
Democracia aplicada ao hemisfério musical
Sem bom ou mau, ou julgamentos morais
Se toca o frevo, eu fervo eu bebo, quero saber de nada mais
To bem de paz, guerra só de serpentina
Na marchinha o tema é livre, vive quem improvisa
A la laô... mas que calor... me dá algo pra beber
Mamãe eu quero mamar, O balancê... O Balancê
refrão

Nas ruas, passistas misturados à pacifistas, foliões
Mal trapilhos ou ricos, afogam frustrações segundas intenções,
Resgatam ilusões, alegram seus corações, livram-se de suas prisões...
Obrigações, Ocupações....vícios, costumes
Linda Morena, dança comigo, lancei um perfume
Faça barulho, perturbe... seja sócio do nosso clube
Socrático, mais democrático que próprio Youtube
Nas ruas de Guadalupe desfiz minhas mágoas
Soltei as amarras, pensando que cachaça fosse água!
Nem sei bem dizer como cheguei
Tampouco reconheci o lugar onde acordei
Eu sei, ouvi dizer: de perto ninguém é normal,
Meu bloco de rua é cultura, loucura sem carnaval
Ruptura com o real, é lúdico, surreal
Me acorde com os acordes perfeitos da Orquestra Imperial
refrão

Que porra é essa? É gafieira? Eu dancei quase a noite inteira,
Eu nem sabia que dançava, quebrei mais uma barreira...
Minha vontade praieira vence mais um obstáculo...
Minha alma brejeira prefere a rua ao espetáculo...
Consulte seu oráculo e veja o que ele aconselha
Uma bermuda, camiseta, a vida enfim é uma centelha
Memórias carnavalescas pelo alcool esquecidas
São como filmes e preto e branco revelados na quarta-feira de cinzas
Misture as tintas, misture os corpos,
Misture as vidas, misture os copos...
Relato vida in loco, desajustando o foco
A liberdade pelo compromisso nem fodendo eu troco
Meu bloco de carnaval...
a vida é um bloco de carnaval...

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Uma letra...rsrs

Eu quero a vida numa noite, eu quero o desespero, Não quero emprego, não quero ter que me sustentar
Quero a loucura, quero a rua, nada de sossego, Quando morrer, na sepultura... vou descansar
A partir de hoje não corto, nem penteio o cabelo, Não sou modelo, sei que sou feio, não vou melhorar
Também não ligo se parecerei suspeito, Cada qual tem seus defeitos quem é quem pra julgar?
Já logo aviso, sou impreciso eu não sou perfeito, Sou egoísta, egocêntrico, ego tudo o que há
Já me disseram que tenho pouco discernimento, Porque estou pouco me fodendo pro lado protocolar
Passado, futuro, não vejo... vivo o momento, Tenho um pressentimento que o amanhã não haverá
Por isso mesmo não faço qualquer planejamento, Eu quero 20 casamentos até o sol raiar

Ontem mesmo perdi os documentos,
Perdi a hora do meu casamento,
Pedi demissão daquele velho emprego,
Mas sou livre inclusive ando contra o vento,
Onde estão com as chaves do apartamento,
Fiz uma letra na lista do orçamento,
Quis acabar com meus 03 relacionamentos,
Mas to firme e me mantive fiel aos sentimentos

Me absolvo dos crimes que eu mesmo cometo, De qualquer jeito não prometo que irei parar
As minhas crenças todas uma a uma se dissolveram, Só acredito no que vejo, no que posso tocar
Sou réu confesso, tenho cá os meus preconceitos, Com gente burra, mala, chata- gente devagar
Se der a mão- claro, meu caro te cumprimento, Bom comportamento é algo que minha mãe soube me dar
Eu já não rezo, ou peço mais meu livramento, Se existir um julgamento sei que vou rodar
Farinha é pouca, quase nada, meu pirão primeiro, E se acabar o vinho seco o bicho vai pegar
Se vem à mim com crocodilagem logo percebo, Por isso seja verdadeiro pra eu não te vomitar
Eu me divirto pra caralho se não tiver dinheiro, Mas se tiver uma porrada não vou reclamar

Ontem mesmo perdi os documentos,
Perdi a hora do meu casamento,
Pedi demissão daquele velho emprego,
Mas sou livre inclusive ando contra o vento,
Onde estão com as chaves do apartamento,
Fiz uma letra na lista do orçamento,
Quis acabar com meus 03 relacionamentos,
Mas to firme e me mantive fiel aos sentimentos

O analista concluiu: desvio de comportamento, Hiper-ativo, inventivo, esquecido- sou DDA
Eu não confundo nem misturo sexo com sentimento, Infelizmente eu só lamento, não quis te magoar
Receba as flores de várias cores que te ofereço, de você eu nunca esqueço... você não pára de ligar!
Morrer sozinho, sem ninguém, estamos todos sujeitos, Dificilmente alguém morre e sei lá... leva o seu par
Este o risco que corro, como tudo tem seu preço, se fico surpreso é vacilo por não me acostumar
Com essa coisa de compromisso certo desde o começo, Vivo sem endereço, anoiteço no Rio, amanheço no mar
Não sei porque me perguntam se nunca cresço, mas também não envelheço nem me aborreço com contas pra pagar
O mundo é louco a vida é curta e a felicidade eu invento, Eu só recebo o que mereço... meço a alegria no olhar

Ontem mesmo perdi os documentos,
Perdi a hora do meu casamento,
Pedi demissão daquele velho emprego,
Mas sou livre inclusive ando contra o vento,
Onde estão com as chaves do apartamento,
Fiz uma letra na lista do orçamento,
Quis acabar com meus 03 relacionamentos,
Mas to firme e me mantive fiel aos sentimentos

A cidade, os graffitis as pessoas...

Hoje é dia do pintor... Pensei obviamente em Renoir, Da Vinci ou Michelangelo. Em Matisse, Portinari, Van Gogh, Di Cavalcanti, enfim...
É o que vem à cabeça de qando falamos de arte...Pintores e tal.
Mas aí, um pensamento me atravessou...
Estes caras ficam infelizmente tão distantes de nós, protegidos em galerias que por terem este nome já nos afastam... Mas olhem nas ruas! Os incríveis espetaculares e coloridos graffitis que deixam a cidade menos cinza... Nem vou citar nomes para não incorrer na injustiça de deixar alguém de fora! Mas a cidade é um galeria à céu aberto. Democrática inclusive.
Olha quem quer. Enxerga beleza quem quer. Não perco um graffiti... Nâo deixo escapar um muro sequer! Sempre que há uma nova intervemção, eu procuro ver o nome do artista e tiro foto, e comento com um amigo, enfim. Neste dia do pintor 08/05, fica aqui minha lembrança e homegagem à cada pintor pós moderno desta cidade e do mundo...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Meu lema...rsrs

Depois do silêncio, aquilo que mais aproximadamente exprime o inexprimível é a música.

-----------------------------------------------------------------------------------------

Dia do Silêncio.

Como diria Arnaldo Antunes: "foi a primeira coisa que existiu"...
HOje dia 07/05 é dia do Silêncio. Por traz desta data comemorativa aparentemente fútil
há inúmeras reflexões que podemos fazer. Ilações diversas.
Os egípicios, desntro de sua cultura politeísta, possuiam, claro, um deus para representar o silêncio, o Harpócatres. São Harpócrates poderia silenciar um pouco deste ruído chamado música que somos forçados a ouvir né não!? Do axé bundalizante ao funk (não o verdadeiro) mal construído, mal gravado, mal mixado, mal letrado, mal educado, mal nascido, mal dormido, mal, mal, mal. Veja bem, não estou metendo o pé de maneira preconceituosa em todos. Só nos mal feitos. Há coisas boas, como.... Bem enfim, há. Deve haber. Mas os mal feitos são exatamente os que chegam à nós. São àqueles que os caras passam ridiculamente nos carros ouvidno. Que os adolescentes entram no busão ouvindo no celular. E que sua vizinha escuta para limpar a casa ou ap dela. Ah o B Negão já fez uns funks e na boa, ficaram muito loucos. Funk não, Miami Bass! Depois desfazemos esta confusão de semântica Bom, no dia do silêncio, evoco a sabedoria Os monges da Ordem de Císter que tinham o silêncio como regra. Ou Buda que valorizava o silêncio como condição para contemplação, 500 anos antes de Cristo que calou-se diante de Pilatus, fazendo do silêncio sua fala. Olha que para um ateu convicto estou sabendo destas coisas aí de religação, ops, religião hein!?
Pois bem, vivemos numa sociedade barulhenta, mal educada que buzina demais, que faz ruiído demais e desconhece o poder do silêncio! Eu mesmo desconheço porque falo (e escrevo) pra cacete!!rs
Harpócrates por favor cale a boca do Galvão Bueno, Xuxa, Ana Maria Braga, Datena, do NXZERO, do CPM22, da Joelma, Ivete Sangalo, Claudia Leite, e todas as outras coisas de gosto duvidoso.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Omar Emicida e afins...








Adiquiri ontem o novo CD de Omar. Chama-se Best by Far (Brazil). Puta que pariu!!!
(eu e esta minha mania de rimar).
Vou degustá-lo por hoje e amanhã posto algo aqui.
Comprei das mãos de meu amigo e vizinho DJ Nyiack, a MixTape do Emicida.
Vou dar uma sacada nela e depois posto comentários aqui.
Trata-se de um jovem rapper aqui de São Paulo que gosto bastante. Mas só conheço trampos de rinha e poucas participações. Em minha opinião um rapper em formação (e quem não é?), mas que tem boas e novas idéias, algumas um pouco panfletárias, o que é usual do rap brasileiro mas que além de potencial e talento, possui inteligência e rapidez da raciocínio acima da média.
Bom, vou ouvi-los e depois comento.

terça-feira, 5 de maio de 2009

DiretodoHospicio

Olá ma brodas and sistas.
Trouxe aqui nas últimas postagens algum conteúdo de um blog que tinha chamado direto do hospício.
Não o utilizo mais (perdi senha e a porra toda) e aí abaixo poderão ver algumas letras antigas e mátérias e tal...
Abraços.
Under...son

Raul Midon 2

Só mais uma do Midon...
State Of Mind.

video

Raul Midon

Vai aqui uma dica para que conheçam um grande artista novo que segundo meu amigo Felipe Braga - o menino europeu, é talvez o maior de toda uma geração! Artista que disse a seguinte frase: "é fácil ser pessimista dado o estado do mundo. Mas eu sou inspirado por pessoas como Martin Luther King Jr. e Gandhi, que tiveram habilidade para transformar. Coletivamente nós criamos uma força enormemente poderosa que pode mudar o mundo e superar todos obstáculos."Estas são palavras de um músico cego de nascimento, filho de uma afro-americana que morreu quando ele era muito novo com um dançarino argentino. Seu nome? Raul Midon! Nasceu na cidade de Novo México e é radicado em Nova York. Canta pra caralho! Toca violão pra caralho também! Podemos ouvir traços de Donny Hathaway, Stevie Wonder e Jose Feliciano em seus vocais embora Midon seja extraordinariamente original.Midon, foi exposto à música sua infância inteira, fez exames em vários instrumentos logo cedo mas apaixonou-se pelo violão e ainda na infância, fascinado pela percussão argentina e com o jazz e blues americanos, conduziu sua música à um interessante estilo que hoje tem influência de tudo que ouviu e tocou na infância. Em 2005 começa a trabalhar, felizmente, com o legendário produtor Arif Mardin, (Norah Jones, Donny Hathaway, Aretha Franklin entre outros...) e juntos criam o Álbum de estúdio, State of Mind, com a responsabilidade de preservar, em meio à oferta de recursos tecnológicos que dispõem os estúdios, o que talvez seja a maior peculiaridade de Midon: a textura acústica. A sensação de um desempenho acústico de um clube pequeno num CD. State of Mind fala sobre a voz e o violão (com lindos harmônicos) de Midon. É improvável que as rádios populares executem um álbum como State of Mind, mas sabemos que tanto aqui, como no México, nos EUA ou Europa, Ásia, África, enfim, há audiências atentas e inteligentes interessadas em músicas inteligentes (as vezes complexas) de melodias atemporais e ricas harmonias e muito groove, menos perecíveis e contaminadas com o modismo que em plena era pós-moderna, insiste em não se dissipar.
videoOriginalmente (na versão de estúdio) esta canção, Expression of Love, tem participação do Grand Mestre Jedi, Stevie Wonder na gaita...

Public Enemy

Carlton Ridenhour (1960), vulgo Chuck D líder e vocalista do Public Enemy. Exímel rapper e combatente. Vocal possante. Mente engatilhada e politicamente bem posicionada. O time dos caras ainda contava com o cômico mas não menos ativista Flavor Flav, Professor Griff (que era o “ministro da Guerra” de bomb squad) mas fora afastado após algumas declarações via imprensa que não foram bem vindas nem bem vistas pelo grupo. Terminator X (DJ) nos pratos completava a gang. Public Enemy reescreveu as linhas do hip-hip-hop, transformando-se no grupo mais influente e controverso do estilo dos anos 80. Public Enemy ou somente PE, abriu caminho para uma variação do rap juntando o soul dos anos 60 e 70 à questão política e revolucionária nos EUA, atacando as classes média e alta brancas. Dentre os sucessos do PE, podemos destacar: Public Enemy No.1 (March 1987), You're Gonna Get Yours (June 1987), Rebel Without A Pause (November 1987), Bring The Noise (January 1988), Don't Believe The Hype (June 1988), Night Of The Living Bassheads (October 1988), Fight The Power (June 1989), Welcome To The Terrordome (January 1990), 911 Is A Joke (April 1990), Brothers Gonna work It Out (June 1990), Can't Do Nutting For Ya Man (November 1990), Can't Truss It (October 1991), Shut 'Em Down (January 1992), Nighttrain (April 1992), Give It Up (August 1994), So Watcha Gonna Do Now (Jul 1995), He Got Game (June 1998), Do You Wanna Go Our Way? (September 1999), distribuídos pela seguinte discografia: Yo! Bumrush The Show (April 1987)It Takes A Nation Of Millions To Hold Us Back (Jul 1988)Fear Of A Black Planet (April 1990)Apocalypse 91 - The Enemy Strikes Black (October 1991)Greatest Misses (October 1992)Muse Sick-N-Hour Mess Age (September 1994)He Got Game (Soundtrack) (May 1998)There's A Poison Goin' On (July 1999)Revolverlution (July 2000)Flavor se envolveu com drogas. Chuck D lançou álbum solo chamado Autobiographic e a verdade é que após Shut 'Em Down e Give It Up (1992 e 1994, respectivamente); o PE não repetiu mais os grandes hits que os consagraram no final dos anos 80 e meados da década de 90.

Dançarina...


Dia desses, comentei sobre o Dia Internacional da Dança...
Mencionei uma música do Chico Buarque e outra Do Jorge Drexler.
Bem, aqui abaixo vai a letra desta canção do Chico Buarque... Muito Louca!!!
Ao lado uma dançarina/ginasta que conheci há alguns anos. A fotografia está com resolução péssima, mas vale à pena ver este movimento!

Ela é dançarina
(Eu quero dormir e ela precisa dançar)
Chico Buarque1981

O nosso amor é tão bom. O horário é que nunca combina. Eu sou funcionário. Ela é dançarina. Quando pego o ponto. Ela termina. Ou: quando abro o ghichê. É quando ela abaixa a cortina. Eu sou funcionário. Ela é dançarina. Abro o meu armário. Salta serpentina. Nas questões de casal. Não se fala mal da rotina. Eu sou funcionário. Ela é dançarina. Quando caio morto. Ela empina. Ou quando eu tchum no colchão. É quando ela tchan no cenário. Ela é dançarina. Eu sou funcionário. O seu planetário. Minha lamparina. No ano dois mil e um, Se juntar algum, Eu peço licença. E a dançarina, enfim Já me jurou Que faz o show Pra mim.
Ela é dançarina. Eu sou funcionário. Quando eu não salário. Ela, sim, propina.
No ano dois mil e um, Se juntar algum, Eu peço a Deus do céu uma licença.
E a dançarina, enfim Já me jurou Que faz o show Pra mim...

Lógica Tostines

• A emoção serve à técnica do instrumentista ou a técnica do instrumentista serve à emoção?• O meio é produto do homem ou o homem é produto do meio?

Mentes Inquietas

Sou um DDA. Descobri isso há algum tempo. Convivo bem com isso. Às vezes tenho problemas com isso. Às vezes não. Sei lá... Vamo aí...Insônia, Hiperatividade, etc...

Reticências...

...O que espero senhores, é que depois de um razoável período de discussão, todo mundo concorde comigo...

Filmes em letras de Rap...

Filmes (letra Anderson)

No Fogo Contra Fogo eu sou Duro de Matar.
No Limite Vertical caí do 13. Andar.
Passei pela Janela Indiscreta, Um Corpo Que Cai, Acima de Qualquer Suspeita
Você não bota uma fé, no que vi de Olhos Bem Fechados,
O Corruptor xavecando o Advogado do Diabo.
Não é preciso ter O Dom da Premonição. Pra sacar que aquilo era uma Rede de Corrupção.
Que envolve um Tira Suspeito, vulgo o Mestre dos Desejos.
Que cria um Círculo do Medo, Num Despertar de Um Pesadelo.
Talvez seja este o Ladrão de Sonhos, da Cidade dos Anjos.
O grande Especialista que deixa Todo Mundo Em Pânico.
Eu, Tu eles, ouvimos Ecos do Além, Crimes Imaginários praticados por um tal de Alien,
Bem aí estamos falando de um Assassino Virtual... Contatos Imediatos do 3o. grau.
Combate-lo é praticamente uma Missão Impossível, Duelo com o Inimigo Íntimo
Como descobrir que o Segredo do Abismo é uma Senha pro seu Sexto Sentido...
É jogar o Jogo de Espiões com Doctor Lecter, um Matador em Conflito.
Sou O Fugitivo de mim mesmo, sei lá só Psicose
Como PM em São Paulo, Um Tira à Beira da Neurose
Num Piscar de Olhos, somos vítimas de um Colecionador de Ossos
Em 60 Segundos cercados por Velozes e Furiosos
A fim de cumprir A Profecia, a Vingança Adormecida
Desses caras tenho Phobia, polícia comédia é Epidemia
Sou um Gladiador, Soldado Universal, guerreiro suburbano
Remando Contra a Maré exterminando Gigolôs Americanos
Quem sabe O Último dos moicanos estudando a Anatomia de um Crime
Tolerância Zero contra os Embalos de Sábado à Noite
e demais comédias do super-cine.
Esqueceram de Mim na Febre da Selva e assim cresci.
Me largaram nas Profundezas da História e do Mar Sem Fim
Recebi um Dossiê Pelicano através de uma Carta Anônima contaminada com antraz
Contra a Chantagem Atômica 007 Pierce Brosnam O Guerreiro da Paz
Na caça ao Chacal, no jogo psicológico de Hannibal
É preciso mais que Coragem sob Fogo, é preciso Inteligência Artificial.
Estar na Zona de Perigo, é arriscar-se na Noite dos Mortos Vivos.
Tipo, Profissão de Risco, vacilou (bum) Queima de Arquivo.
Eu e meus manos somos Homens de Honra e nessa fita envolvo as minas
Todos numa Justa Causa contra a Conspiração Tequila
Pra Batalha Final este é o Último Recrutamento
Soldado Ryan se apresente para Um Dia de Treinamento
Hey Patricinha eu já te vi no pinote na Fuga das Galinhas
Você marombeiro na figuração do filme a Rainha Priscila
Nada de preconceitos não vamos aqui brincar feito Cães e Gatos
Até por que Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado
Me sinto a bordo do Navio Fantasma À Espera de Um Milagre
Dormi no Quarto do Pânico e lá tive um Sonho de Liberdade
Minha tática de Rock Balboa surpreende até quem é mais ligeiro
Reagir no último segundo pra comer o cu do coveiro
Não jogo O Jogo da Vingança mas certamente do meu Troco
Lá em casa nem troco idéia pois Ta Todo Mundo Louco
Aproxima-se o Fim dos Dias por isso com Má Companhia tome cuidado
Mentes Perigosas criam Códigos para o Inferno, Perigo Real e Imediato
Quando pequeno ganhei um Brinquedo Assassino
Minha irmã ganhou o Manual de Como Agarrar um Marido
Veja o que me tornei, líder dos Garotos Perdidos no Bairro Proibido
Ela? Miss Simpatia Em Busca dos 27 Beijos Perdidos.
Os Deuses Devem Estar Loucos, mataram a Rainha dos Condenados.
No mês de Abril Despedaçado
O Atirador simplesmente acertou o Alvo Errado
Espera aí, espera aí, é tanto filme que ficará Em Coma
Pra te levar à lona, te digo, estive Na Cama com Madonna
Sempre causo Impacto Profundo com meu Instinto Selvagem
Start na Contagem Regressiva, em Terreno Selvagem, inicio A Viagem
Por Traz Das Linhas Inimigas comi A Filha do General
To fugindo feito marginal, será esta a Cartada Final? Apocalipse Now!?
Tenho só 15 Minutos para A Conquista do Paraíso
Um Ato de Coragem me diferencia de meus inimigos
Sou bom de matemática faço agora a Soma de Todos Os Medos
O resultado? É igual Camorra 11 Homens e Um Segredo.

Boal... Teatro do Oprimido e a Revolução

Todos nós apostamos na Revolução! Sim, somos todos "viúvas" de Prestes, Guevara, Antônio Cândido, Zumbi, Marighela, e porque não Augusto Boal...
Boal faleceu esta semana e nos deixa um legado de subversão e iconoclastia no que diz respeito a arte brasileira! Seria bom que todos os rappers brasileiros, todos os estudantes de teatro e qualquer cidadão médio comum conhecesse um pouco da biografia de Boal.
Ele aliava ao teatro, em seu Teatro do Oprimido, aspectos sociais segundo Boal: O Teatro do Oprimido é o teatro no sentido mais arcaico do termo. Todos os seres humanos são atores - porque atuam - e espectadores - porque observam. Somos todos 'espect-atores'...
Fica aqui meu lamento e esperança de que atuemos de maneira mais convincente e decisiva...
Abraços.
Under...son

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Déspota, Novelas, Literaturas e afins

Iniciar este texto dizendo que estava mexendo nos meus livros, limpado-os e decidi dividir alguns títulos com os amigos que visitam meu blog, é querer parecer despretensioso, sem ser. Pô, vamos combinar...rsrsr

Pouca coisa na internet é espontânea! Na tevê, nada é. No rádio menos ainda! Já falei disso aqui. Novela então! É simplesmente patética! Seja na Índia, no Marrocos, no Rio de Janeiro ou em São Paulo. É ridículo. Texto fraco. Atores vazios. Dramaturgia oca.

Mas querer falar de livros pode parecer uma atitude intelectualmente despótica. Meio tirano. Bom, sou um pouco não posso negar. E por mais que pareça pedante, vou trazer sim alguns títulos de livros e dizer porque podem ser interessantes para digamos assim, humanizar nossas consciências.

Começando por um Romance: O Egípcio. Aposto que uma página dele, valha por todos os frames de um capítulo de Caminho das Índias! Dia desses uma moça Oriental que trabalha comigo disse que curtia a novela pela viagem que fazia pela índia. Imagens lindas! Locações maravilhosas e tal. Pois eu afirmo sem medo de errar que ao ler de Mika Waltari, O Egípcio, qualquer pessoa poderá visitar o antigo Egito, conhecerá a cidade de Tebas irá para a ilha de Creta, visitará antigas e inexistentes cidades, sem precisar olhar para o sistema emburrecedor, limitador e cabresto cultural televisão! A Tevê para quem não sabe, mesmo desligada, continua emitindo pulsos dentro de casa... Não deve ser bom né? rsrs

Vamos ao H.L.Mencken. O Livro dos Insultos! Poucos escritores têm a capacidade de ser tão incisivo. Trata-se de um livro breve com seleção e tradução de Ruy Castro.

Mencken é dono de um estilo agressivo e de certo modo arrogante mas, maldosamente bem humorado. Possuo também o Diário de Mencken. Ele começou a escrevê-lo após completar 50 anos e senta o pau em todo mundo (quero dizer, critica tá?!)... tanto que assegurou que este livro fosse publicado 15 ou 25 anos após sua morte. Melhor do que ver Datena, João Gordo e Jô Soares na tevê e ler o Maynard (que acha que é o Mencken ou o Paulo Francis) seja qual o veículo ele escreva. Ô cara mala! Ah, olha que acho o Gordo (o João) até que bonzinho.

Aldous Huxley. Gosto de todos que li dele. Admirável Mundo Novo. As Portas da Percepção (esse é tão phoda que o Jim Morrison o leu e deu o nome de The Doors para a banda), O Gênio e a Deusa, Hermes e o Alfabeto, Os Demônios de Loudoun, Contraponto, etc... Matrix têm inúmeras citações de Admirável e Retorno ao Admirável Mundo Novo...

José Ângelo Gaiarsa. Uma espécie de meu terapeuta à distância! Ele nem sabe disso. Mas já me salvou de muitas... São seus livros: Tratado Geral Sobre a Fofoca. Família e Política. A Estátua e a Bailarina. Estes entre outros dele, somados aos Jung com seu livro revelador Sincronicidade, (desconsidero e deixo para outra ocasião discutirmos a associação que fizeram dele com o nazismo, sua obra é phodida para nossos tempos); Freud (que é do caralho até a página 9) e seu livro que é inteiro bom a, Interpretação dos Sonhos juntamente com os de Reich (Wilhelm) que escreveu a Função do Orgasmo, e a Revolução Sexual e segundo Gaiarsa foi o primeiro psicanalista a "olhar para o corpo", me ajudaram nos meus abismos psicológicos e aposto que é melhor que qualquer programa vespertino da Globo, Record, SPT e Bandeirantes juntos bem como ouvir a Penélope da MTV teorizar sobre sexo querendo ser natural. E tem muita merda também nos canais fechados viu? GNT, Multishow, e outras coisinhas aí!
Bom, tem tantos outros livros que vou falando por aqui com calma... este texto está grande demais!

Abraços.

Under...son.

Livros, Facebook e afins...

Iniciar este texto dizendo que estava mexendo nos meus livros, limpado-os e decidi dividir alguns títulos com os amigos que visitam meu blog, é querer parecer despretensioso mas não é né? Emprestar um ar ou passar um verniz de espontaneidade sem ser certo? Pois bem, eu quis falar mesmo dos livros pronto e acabou! Eu comentei hoje no Facebook (que não permite uma interatividade longeva, ou você é rápido e breve ou se fode); hoje que lia o Diário de Mencken e postei uma porção de coisas dele lá. Na realidade as idéias, que postei dele em meu Facebook são do livro "O Livro dos Insultos", dele mesmo Mencken, com tradução de Ruy Castro.Trata-se de um apanhado de idéias, conceitos e presumo que já tenha comentado ou trazido alguns de seus textos aqui, que podem enlouquecer um leitor mais distraído. Ele é ateu, exerceu o jornalismo nas décadas de 20 e 30. E tem um texto impressionant... Fodido de bom. Mas repare que as pessoas querem saber da porra do Facebook. Eu também quero! A galera aqui no trampo até veio me perguntar se eu empresto o livro para eles, pois acharam interessante minhas postagens no Facebook. Ao menos para isso serviu!´E essa porra é viciante! Para quem tem smartphones... Complica pois o cara vai dormir postando no Facebook e no Twitter... Vai tomar banho com as mãs para fora do Box comentando a foto de alguém que nem conhece muito bem.
Li relatos de pessoas que sentaram para cagar e permaneceram no vaso sanitário por volta de 01:30 curtindo isso, comentando aquilo...
Que bom que meu querido Mencken está sendo apreciado pelos facebookers... E eu que pensei que não houvesse muita utilidade para este Orkut de gente fresca... rsrsrs

quinta-feira, 30 de abril de 2009

O jabá. A música e o romantismo onde fica?

Talvez a internet tenha nos trazido além de uma lufada de independência e de possibilidade de distribuição musical de que os músicos precisavam, uma renovação de nossas utopias artísticas. Não sei... Talvez. Afinal o Brasil é muito amador em distribuição digital, por reflexo de uma série de fatores e o mais importante foi a atuação das gravadoras multinacionais que sempre estiveram por aqui explorando (como mineradoras) mal e porcamente o mercado fonográfico e pouco contribuiram para o amadurecimento deste. Não quero falar da passividade da maioria daqueles que formam a classe artística, sobretudo o mainstream musical, neste processo.
Há exceções e são muitas e posso dizer que o movimento hip hop por si só é uma delas.
O mangue beat também. O tecnobrega inclusive! Porque não?
Bom, lá na gringa o mercado fonográfico também tomou o soco no olho que tomamos, mas nossa letargia somada ao nosso complexo de vira-latas, nos paralisou artística e mentalmente.
Coisa 01
Quando ouço alguém dizer que gosta de um determinado artista (Ivete Sangalo para ficar num exemplo mais genérico e inespecífico como sua música); digo que ela não gosta necessariamente desta cantora... Digo que foi condicionada a gostar dela! As rádios executam tanto! Mas tanto... Os programas de tevê exibem tanto! Mas tanto, que...
Coisa 2
Nem todos mas alguns sabem que trampo com música. Soa estranho isso né? Já dei e ainda dou minhas cassetadas na caneta, microfone e coisa e tal mas, mais recentemente estou trabalhando naquilo que podemos chamar de "os bastidores" da música.
Olha... é deprimente saber o que um artista independente precisa fazer para tocar numa rádio! 10, 15 mil (no interior de SP); 40, 50 mil em São Paulo... No Rio a coisa não é diferente e o resto (é assim que tratam as outra praças) segundo os envolvidos neste meio, não é mercado!
Claro que sempre soube disso, mas fazer reuniões com pessoas ligadas à rádio e ouvir isso que escrevi acima de maneira tão natural que nos faz pensar que nos pediram para passar o saleiro durante o almoço, é demais! Por isso insisto. O que você (a maioria), o cidadão médio ouve (aliás, o gosto médio é pior que o mal gosto concordam??); não é fruto de seu desejo e formação e coisa e tal. As pessoas ouvem e gostam daquilo que são condicionadas a gostar. Claro, sempre fora assim. desde a ditadira, ou antes... Acho que a tevê faz parte de um processo de emburrecimento da população que faz a videodemonização racista de nossa cultura e a porra toda. Tevês e Rádios utilizam suas concessões públicas, para montar cartéis e máfias (como de narcotráficos e armamentos) que enriquecem explorando o talento, a burrice e a inércia da classe artística e toda sua órbita, nos faz parecer que esta tal lufada de independência que a internet nos trouxe, pode ser pequena, fraca e insuficiente para transformar a música e seus artístas em algo maior que produtos expostos em gôndolas de supermercados.
Solução?
Não há. Ao menos eu não acredito. Já se fez quase de tudo. Uma hora eles cairão bem como as multinacionais (gravadoras) caíram no Brasil e no mundo todo devida a más práticas e nós artistas, que fazemos música, queremos mostrá-la para uma, dez, mil, um milhão de pessoas e se pintar a oportunidade de tocar no rádio o faremos, e de ir à tevê também!
Afinal é uma concessão pública. Nos receber lá é obrigação! Mas ta phoda hein!!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Dia Internacional da Dança

29/04... É dia Internacional da Dança... Adoro as dançarinas.
Eu as acho lindas! rsrs
Lembrei de Ela é Dançarina do Chico Buarque... Don de Fluir do Jorge Drexler...
Po, todo homem tem de ter uma dançarina na sua vida!
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Ah, aniversariam hoje:
Toots Thielemans
Reservei esta preciosidade (no link abaixo) de Toots com participação do Deus Stevie Wonder, música que já ganhou versão brasileira com Ivan Lins, Djavan, Caetano Veloso, João Bosco e se não me engano Dori Caymmi.
http://www.youtube.com/watch?v=RtSJH8iVdJg
Duke Ellington
Pianista, nascido em 1899...
Fodidão! Sua música sem dúvida foi uma das maiores influências de Jazz em todo mundo.
Fez dupla com Ella Fitzgerald de quem eu sou amarradão!!!
Ouçam esta preciosidade. (link abaixo)
http://www.youtube.com/watch?v=0OYV79aq8UQ&feature=PlayList&p=25B5846CD8364854&playnext=1&playnext_from=PL&index=34

Genialf

Estava logo cedo dando uma olhada em alguns blogs que curto muito e no do Pedro Alexandre Sanches encontrei uma matéria/entrevista que fizera com o Johnny Alf, intitulada de
"O Modesto Genialf". Genialf era o apelido que recebera de Tom Jobim.
A matéra é interessantíssima pois conta brevemente um pouco da história, do isolamento deste pianista maravilhoso e sugere de que Alf, bem como outros asseclas negros tenham sido, de certo modo, alijados deste processo ou movimento que fora a bossa nova. De fato Alf além do SambaJazz incluia pitadas de música negra americana junto aos sambas canções e coisa e tal. Hoje Alf vive em Santo André, num hotel residência para idosos.
Pedro menciona a homenagem aos seus 80 anos, que aconteceu nos dias 23 e 24 de maio, no Sesc Pinheiros aqui em Sampa. Sua dificuldades financeiras e a modéstia que lhe é peculiar e que talvez tenha lhe impedido (minha visão) de ir além. Muito Além! Já que Sarah Vaughan quis em certa época levá-lo com ela, entre outras histórias.
Curto muito Johnny Alf, gosto muito de Eu e a Brisa e Rapaz de bem (para ficar nestas duas mais famosas), e para àqueles que curtem a nova MPB, podem encontrar no primeiro disco de Simoninha (Volume 2) , uma interpretação meio Lounge meio Bossa de Eu e a Brisa.
Bom, vou ao banco e quem sabe mais tarde dê tempo de escrever mais coisas por aqui.
Vejam a matéria na íntegra em: http://pedroalexandresanches.blogspot.com/